A evolução da rede nos sistemas operacionais

Windows vs Linux

Windows 9X

Nem vamos falar sobre o Windows 95, que é um produto já absolutamente superado, analisemos apenas o Windows 98. Quando se trata de fazer pequenas instalações com, digamos até 10 terminais o sistema de rede embutido no Windows 98 mostrava-se bastante atraente, com uma excelente relação entre custo e beneficio.


Uma vantagem do 98 é que mesmo micros obsoletos como um Pentium 200 MHz com 32 de RAM vai conseguir executá-lo; meio lento, mais vai.


A rede do Windows 98 é muito fácil de ser instalada, mesmo para um iniciante. Em pouco temo o sistema estará funcionando e poderá atender às tarefas rotineiras em pequenas empresas, atividades como compartilhamento de impressoras, discos, programas e acesso à internet.
Mas paga-se um preco pela sua simplicidade. As redes com 98 não tem todos os recursos daquelas baseadas em Linux e nas versões mais recentes de Windows. A performance do 98 é mais baixa e o sistema como um todo é instável, quando comparado às versões mais novas de Windows. Não existem ferramentas de administração central nem maneiras eficientes de restringir o acesso dos usuários a determinados recursos.
E o pior de tudo: o Windows 98 é uma verdadeira “peneira furada” – deixa passar tudo – quando se trata de proteção a vírus, worms e adwares, as pragas que infestam a Internet. Uma máquina com Windows 98 conectada à Internet tem altíssima probabilidade de ser infectada, arriscaria até a dizer que ele CERTAMENTE vai ser infectada, por mais cuidados que o usuário tenha. Portanto, sempre que possível deve-se procurar por alternativas melhores e deixar o Windows 98 de lado.
Windows XP
Querendo sair do 98 mas ficando com a Microsoft, desde que se tenha hardware à altura, em redes pequenas pode-se optar pelo Windows XP, versões “HOME” ou “Professional”. Se a estrutura crescer pode-se adicionar um ou mais servidores tanto com o XP quanto com o Vista ou o Sever 2003.
As redes com o XP são bem superiores àquelas feitas com o Windows 98, pois tem recursos mais avançados como validação de usuários, criptografia de arquivos, partição em domínios e Active Directory (usados em redes maiores) e muitos outros recursos.
No XP pode-se definir o que cada usuário terá o direito de acessar: determinando discos, pastas, ou até sites. Existe também controle de acesso em dias e horários pré-programados, e pode-se monitorar quais arquivos foram abertos e quando, além de outros recursos de administração, com vistas à segurança e facilidade de uso e administração.

Windows Vista
Foi lançado com o objetivo explícito de substituir o Windows XP, o 2000 e o já falecido 98. Ainda não ganhou popularidade (e também não irá ganhar mais com o surgimento do Windows Seven).
O Windows Vista foi desenvolvido tendo a segurança como meta principal, por isso nele as configurações de rede são um pouco complicadas, mas nada de excepcional conforme vou demonstrar no próximo artigo.

Windows 2003 Server
À medida em que a rede cresce e vai se sofisticando, provavelmente será preciso adicionar um ou mais servidores rodando sistemas operacionais mais robustos como o Windows 2003 ou Linux.
Quando se partindo para usar servidores, é possível ampliar os serviços oferecidos pela rede com opções como validação centralizada dos usuários, firewall e antivírus corporativos, backup centralizado, replicação de servidores e dados, formação de clusters e muitos, muitos outros serviços.

Linux
O Linux começou devagar mas ganhou impulso e cresce ano após ano. Graças a Internet, voluntários nos quatro cantos do mundo puderam contribuir não só para o sistema operacional em si, mas também para criar soluções gratuitas baseadas em Linux. Como o servidor de Web Apache, que é um bom exemplo do que a comunidade do software livre pode produzir.

Hoje o Linux já é uma alternativa real à Microsoft em muitas áreas. Por enquanto o forte do Linux são os ambientes corporativos onde é muito utilizado em servidores de Web, E-mail, impressão e arquivos. É usado também em soluções específicas como roteamento entre redes, firewall e detecção de intrusos.
O Sucesso do Linux no ambiente empresarial, ainda não se repetiu nos computadores pessoais, usados no ambiente doméstico e também em pequenas empresas. A razão é única exclusivamente a falta de bons aplicativos para atividades específicas como editoração eletrônica, edição de áudio e vídeo, games e, principalmente, pela falta de programas para coisas tão simples como enciclopédias e programas de culinária indo até programas científicos, dos quais existem milhões de títulos disponíveis para Windows.

A maior dificuldade para instalar e configurar o Linux, também afasta muitos dos potenciais usuários. Também mantém os técnicos de informática iniciantes afastados do sistema.
Mas as coisas estão mudando. A cada dia surgem novas soluções para Linux. Muito dinheiro está sendo investido nisso resultando em instaladores eficientes e produtos aceitáveis. Concerteza o Linux vai cruzar seu caminho no futuro, seja você um técnico de informática iniciante, ou um experiente engenheiro de Software.


No próximo artigo, você verá qual dos sistemas utilizar para montar sua rede.



Siga-me noTwitter

5 thoughts on “A evolução da rede nos sistemas operacionais”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *